top of page

Desvendando os Segredos da Cannabis

A Cannabis sativa possui uma longa história de uso medicinal, remontando a tempos antigos e até mesmo chegando ao Brasil através dos escravos africanos. Apesar do estigma em torno do uso recreativo, a planta revela propriedades terapêuticas notáveis, como o efeito antiemético do THC em tratamentos de quimioterapia ou pessoas com problemas estomacais. A pesquisa global intensiva destaca a relevância da Cannabis como uma fonte potencial de novos medicamentos, desafiando estereótipos e abrindo discussões sobre seu cultivo e uso medicinal.

Estudo sobre a Cannabis Medicinal

Neste universo intrigante, uma planta com três notáveis espécies - sativa, indica e ruderal - a reprodução entre esses fenótipos resulta em uma ampla gama de propriedades. Além de suas flores discretas cobertas por pêlos granulosos, a Cannabis revela sua complexa composição química, composta por aproximadamente 400 substâncias, com destaque para os canabinoides. Estes, agrupados em fitocanabinoides, endocanabinoides e canabinoides, desempenham uma variedade de papéis, desde propriedades psicoativas, exemplificadas pelo THC, até benefícios terapêuticos, como os oferecidos pelo CBD.


O sistema endocanabinoide desempenha um papel crucial na regulação do sistema nervoso central, influenciando funções como coordenação motora, atenção, cognição e emoções. Descobertas recentes revelam a presença de receptores em células cerebrais, especialmente nas microglias, sugerindo uma possível ligação com doenças neurodegenerativas. Essas descobertas abrem novas perspectivas para o desenvolvimento de tratamentos inovadores e destacam o sistema endocanabinoide como um campo promissor de pesquisa em neurociência e medicina.


Estudos recentes enfatizam o potencial terapêutico dos fitocanabinoides, como CBD e THC, da Cannabis, em condições como ansiedade, doença de Parkinson, dor neuropática e epilepsia resistente a tratamentos convencionais. Resultados promissores nessas pesquisas sublinham a necessidade de promover discussões e superar preconceitos em relação à Cannabis. A redução de barreiras burocráticas, especialmente no cultivo controlado para fins de estudo medicinal, é apontada como crucial para avanços na compreensão da planta e no tratamento de doenças.


No Brasil, a busca pelo uso medicinal da Cannabis enfrenta desafios, apesar dos avanços legislativos. A Constituição Federal de 1988 estabelece o direito à saúde, enquanto a ANVISA regula e fiscaliza produtos farmacêuticos. A importação de medicamentos contendo CBD e THC foi autorizada. A Portaria nº 344 categoriza a Cannabis e o THC em listas específicas. Embora a RDC Nº 327 tenha liberado a fabricação de produtos medicinais, comercializados por farmácias autorizadas, resistências sociais e políticas ainda impedem a plena aceitação do uso terapêutico no Brasil.

É de extrema importância uma sociedade aberta a debates, vislumbrando um futuro onde a Cannabis medicinal seja uma opção relevante para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Confira mais no estudo abaixo https://ri.ufs.br/handle/riufs/17569


FITOCANABINOIDES E OS SEUS EFEITOS FARMACOLÓGICOS
.pdf
Fazer download de PDF • 428KB


Kommentare


bottom of page